Gibela e PRASA realizam visita à unidade da Alstom Brasil para conferir a linha de montagem dos primeiros trens suburbanos da África do Sul

Executivos da Gibela e de PRASA visitaram a unidade de fabricação de trens da Alstom em São Paulo para mostrar o progresso na construção do primeiro dos 600 novos trens suburbanos para PRASA. O trem é um dos 20 que serão construídos no Brasil. Nos termos do contrato entre PRASA e Gibela, ficou acordado que a unidade do Brasil iria fabricar 20 trens para gradualmente, como parte de um ambicioso programa de transferência de competências, treinar engenheiros sul-africanos. Os 580 trens restantes serão construídos na África do Sul, por sul-africanos, em uma nova planta que será estabelecida em Ekurhuleni, a leste de Johanesburgo.

First body-shell of PRASA commuter trains. Copyright: Alstom / B.Borgnet

Quase sete meses depois do fechamento do contrato de R51 bilhões (em moeda sul-africana) da nova empresa ferroviária sul-africana Gibela com a Passenger Rail Agency of South Africa (PRASA) para a fabricação de 600 trens suburbanos de última geração para entrega nos próximos 10 anos, a fabricação do primeiro novo trem está avançada.

Falando para um grupo de jornalistas sul-africanos durante uma visita dia 26 de novembro à linha de montagem dedicada à PRASA, na planta de fabricação de trens da Alstom Transporte na Lapa, em São Paulo, o CEO da Gibela, Marc Granger, destacou a conclusão, no prazo, da estrutura da caixa do primeiro dos 20 trens que estão sendo construídos no Brasil como um “marco significativo”.

A caixa é a estrutura de metal de um veículo ferroviário, composta de quatro partes principais – o subchassi, duas paredes laterais, o teto e as duas extremidades do trem, que são unidas e soldadas uma à outra. No caso do trem da PRASA, essas partes são feitas de aço inoxidável – trazido da África do Sul. A carroceria pesa cerca de 9 toneladas e sua montagem leva 1.200 horas-homem para ser concluída.

“Esse é um marco significativo em nosso negócio, porque é o precursor vital da fase de montagem, na qual veremos mais de 1.000 componentes diferentes, desde acabamentos internos, equipamentos elétricos, motores de tração, truques, cabos, tubulações, ar-condicionado e portas sendo montados dentro da carroceria.

O produto final será o primeiro trem completo da PRASA, de uma frota total de 600. Ele será enviado à África do Sul até o último trimestre de 2015 para um programa intensivo de testes antes de entrar em operação comercial até junho de 2016.

Com isso, será inaugurada uma nova era no transporte coletivo ferroviário na África do Sul, que fará o país avançar em direção à sua meta de contar com um sistema de transporte público integrado e infraestrutura, conforme previsto no Plano de Desenvolvimento Nacional do país.

As equipes da Gibela e da Alstom, na África do Sul e ao redor do mundo, estão fortemente comprometidas em entregar os trens no prazo e com satisfação total para o cliente, a PRASA,” afirmou Grainger.

A planta da Lapa, que possui 46.900m² e mais de 800 funcionários, é o centro de excelência da Alstom para a fabricação de carros em aço inoxidável.

Piet Sebola, Executivo do Grupo para Desenvolvimento de Ativos Estratégicos de PRASA, afirmou: “Sem dúvida foram feitos progressos significativos; nosso programa de implementação está a todo vapor. Estamos avançando para receber nosso primeiro trem em novembro de 2015. Poder ver a linha de produção da PRASA com a primeira estrutura em fase de conclusão é incrível. Nos próximos meses, essas atividades de manufatura de classe mundial serão conduzidas na África do Sul por nossos próprios engenheiros e operários. Isso está em linha com nossos planos de desenvolver uma nova geração de engenheiros e trabalhadores ferroviários. Estamos focando nossa energia na criação de um serviço ferroviário que seja parte integrante da renovação do sistema de transporte, para fornecer uma solução eficiente para todos os sul-africanos”.

Enquanto a fabricação da porção brasileira do material rodante está em andamento, rápidos progressos também estão ocorrendo em solo sul-africano. A Gibela atualmente tem 78 funcionários e 16 engenheiros sul-africanos, que estão quase na metade de um programa de treinamento de 18 meses sobre desenho e tecnologias de material rodante em várias plantas da Alstom na Europa.

Enquanto isso, a Gibela, junto com PRASA e a Ekurhuleni Metropolitan Municipality, deu início aos estudos de avaliação de impacto ambiental, processos e exigências administrativas referentes a rezoneamento e estabelecimento de município antes da construção da nova unidade de fabricação, até março de 2015.

 

INFORMAÇÕES RELEVANTES

 •          Gibela, a empresa sul-africana que está executando o programa de material rodante, é de propriedade 61% da Alstom, 9% da New Africa Rail e 30% da Ubumbano Rail – entidade anfitriã do National Empowerment Fund para as parceiras Broad-Based Black Economic Empowerment e funcionários da Gibela e da PRASA, além do Education Trust.

•          O X’Trapolis Mega da Alstom para PRASA pode rodar a velocidades de até 120 km/h, e pode ser atualizado até 160 km/h. Cada trem single-deck é composto de seis carros e pode transportar mais de 1.300 passageiros. Graças à modularidade do X’Trapolis, PRASA poderá ajustar a configuração do trem dependendo do número de usuários (de 4 a 6 carros, com a opção de acoplamento).

O trem é equipado com ar condicionado, assentos ergonômicos, informações em tempo real, internet Wi-Fi e uma combinação de iluminação direta e indireta para aumentar a sensação de espaço. Também inclui um avançado sistema de portas para aumentar a acessibilidade a passageiros com mobilidade reduzida e amplos corredores, para maior fluidez. Com uma taxa de reciclabilidade de 95%, o X’Trapolis define um alto padrão em termos de sustentabilidade ambiental. Além disso, a carroceria em aço inoxidável reduz o peso do trem e sua capacidade de frenagem elétrica permite uma redução considerável no consumo de energia.

 •          A PRASA, através do programa de material rodante, está no processo de adquirir aproximadamente 7.224 novos materiais rodantes, com um investimento projetado de R123 bilhões em um período de 20 anos. A aquisição do material rodante está sendo feita em duas fases; na primeira fase, a Gibela foi contratada para os primeiros 10 anos.

 

Sobre a Alstom

A Alstom é líder global em infraestrutura ferroviária e geração e transmissão de energia, e está na vanguarda de tecnologias inovadoras e amigáveis ao meio ambiente. A Alstom constrói o trem mais rápido e o metrô automatizado de maior capacidade do mundo, fornece soluções de usinas integradas turnkey e serviços associados para uma ampla gama de fontes de energia, incluindo hidrelétrica, nuclear, a gás, carvão e eólica, e oferece várias soluções para transmissão de energia, com foco em redes inteligentes. O Grupo emprega 93.000 pessoas em mais de 100 países. Registrou vendas de €20 bilhões e fechou aproximadamente €21,5 bilhões em pedidos em 2013/14.

Informações à Imprensa:

Mariana Maciel - mariana.maciel@alstom.com / Tel.: (11) 3612-7074

Ana Paula Mattar – anapaula.mattar@cdn.com.br / Tel.: (11) 3612-7079