Panamá: Um metrô lançado em alta velocidade

08/04/2014

A Cidade de Panamá inaugurou o primeiro sistema de metrô turnkey (chave na mão) da América Central no dia 5 de abril.

Na Cidade do Panamá, capital do país com o mesmo nome, o novo sistema de metrô entregue pela Alstom vem atraindo muita atenção desde o último dia 5, data de sua inauguração oficial, na presença do Presidente da República do Panamá, Ricardo Martinelli, autoridades locais e representantes da Alstom Transporte, incluindo Michel Boccaccio, Vice-Presidente Sênior para a América Latina.  Marco Contin, presidente da Alstom Panamá e um dos idealizadores do projeto, recebeu o primeiro bilhete de metrô diretamente das mãos de Roberto Roy, Secretário Geral do Metrô. Após a viagem inaugural, que incluiu a apresentação de artistas locais nas principais estações, o Presidente foi recebido por milhares de pessoas na última estação, para celebrar a conquista desse grande desafio.

O metrô do Panamá, que faz parte do portfólio de trens Metropolis da Alstom, é o primeiro sistema turnkey (chave na mão) de metrô na América Central. A Alstom Transporte aplicou todo o seu know-how para este projeto: foram envolvidos aproximadamente 150 funcionários da Alstom dos setores de engenharia, instalação e integração, para a entrada em serviço do sistema, incluindo o fornecimento de 57 carros de metrô e do sistema CBTC de controle dos trens.  Essa equipe também conduziu todos os testes no sistema realizados em outubro de 2013.

"Estou muito honrado que Alstom Transporte está fazendo parte de um momento tão especial para um país.  Fico ainda mais feliz por ver nossa equipe entregando um complexo projeto turnkey, com excelente desempenho e em um prazo de entrega muito desafiador”, disse Michel Boccaccio, Vice Presidente Sênior da Alstom Transporte para a América Latina.

Antes de sua chegada ao Panamá, os 19 trens atravessaram diversos mares do mundo.  Construídos na unidade de Santa Perpetua, próximo a Barcelona, na Espanha, as composições foram embarcadas em um navio cargueiro no porto de Tarragona, atravessaram o Mediterrâneo, o Estreito de Gibraltar, o Oceano Atlântico e o Mar do Caribe, antes de entrar finalmente no Canal do Panamá.  Uma viagem que só foi possível graças ao excelente trabalho realizado pela equipe de transportes.

Após esta primeira referência de sucesso, a Alstom Transporte pretende estabelecer sua presença de longo prazo no país: a cidade do Panamá poderá confiar à empresa a manutenção do sistema e é esperada, em breve, a abertura de licitação para a construção de uma segunda linha do metrô. Vamos aguardar.