Gente que está construindo o futuro - Itaipu

03/06/2014

Há 40 anos, a usina de Itaipu começava a sua história. Em 17 de maio de 1974, brasileiros e paraguaios deram o passo efetivo para o início da construção da usina com a constituição da binacional. Nas quatro décadas seguintes, a obra transformaria a região Oeste do Paraná e viria a contribuir para um novo perfil econômico e mais industrializado do Brasil e do Paraguai.
Hoje, Itaipu é fundamental para a infraestrutura energética, para a integração e para o desenvolvimento dos dois países.
A Alstom teve participação fundamental no projeto, fornecendo 10 das 20 unidades geradoras da hidrelétrica, cada uma com 700MW de capacidade.

Até hoje temos em nossa empresa profissionais que atuaram nesse projeto e construíram uma história de sucesso conosco.

Confira abaixo a entrevista com Mauro Uemori, engenheiro da Hydro que atuou no projeto da usina desde que era estagiário.

 

  • Qual foi sua participação no projeto da usina de Itaipu e em qual período?

Iniciei a minha participação em Itaipu desde quando eu era estagiário, em 1977, apoiando a equipe nos cálculos elétricos, de massa e custos.

Depois de efetivado, nos anos 80, como engenheiro elétrico trabalhei apoiando os engenheiros sêniores na condução dos cálculos elétricos, cálculos especiais, desenhos e no projeto. Também tive a oportunidade de acompanhar a fabricação, montagem e comissionamento e até alguns reparos durante estes anos.

 

  • Como é para você ter trabalhado em um projeto tão relevante para a Alstom e para o mercado hidrelétrico?

Na época Itaipu era a maior usina do mundo e foi um marco para a Alstom e para o mercado hidrelétrico mundial.

Acho que eu estava no lugar certo e na hora certa, pois tive a chance de acompanhar todo o ciclo desde o seu nascimento até o comissionamento, incluindo alguns reparos e isto foi muito importante para definir a minha vocação para máquinas elétricas. Hoje eu trabalho na área que eu gosto e que eu me sinto muito bem. Trabalho muito feliz.

 

  • O que mudou na sua carreira e na Alstom desde o período em que trabalhou no projeto?

A experiência adquirida em Itaipu me fez ter maturidade para direcionar a minha atuação na Alstom, estudar, pesquisar e principalmente ter a mente aberta para mudanças e inovações.

 

  • Quais foram os principais avanços em tecnologia desde a realização desse projeto?

Itaipu foi a consagração:

- Do sistema de isolação Micadur para tensões de 18 kV, que serve de referência para podermos projetar geradores de até 24 kV;

- Consagração dos elementos oblíquos, que desde então são utilizados em todos os geradores de médio e grande porte em todo o mundo, sendo a marca da Alstom e que deixa os clientes satisfeitos;

- Do projeto e cálculo do sistema de ventilação radial;

- Do sistema de prensagem do núcleo do estator;

- Do sistema de conexão anel magnético/aranha resultando no atual projeto denominado coroa flutuante;

- Dos geradores quanto à qualidade e confiabilidade do produto Alstom.

Itaipu, desde então, serve de referencia para a maioria dos projetos no mundo, mesmo após 40 anos.

Mauro Uemori