O Conselho de Administração da Alstom recomenda a oferta da General Electric

23/06/2014

O Conselho de Administração da Alstom recebeu, em 20 de junho de 2014, uma atualização para a oferta da General Electric (GE) para a aquisição dos negócios de geração e transmissão de energia da Alstom. Também foi recebida em 20 de Junho de 2014 a proposta revisada da Siemens e Mitsubishi Heavy Industries.

O comitê ad hoc de conselheiros independentes indicados pelo Conselho em 29 de Abril de 2014 e liderado por Jean-Martin Folz analisou detalhadamente, em diversas oportunidades, as transações propostas. Com base nos trabalhos da comissão e dos assessores financeiros e jurídicos, o Conselho de Administração decidiu, por unanimidade, emitir uma recomendação positiva para a oferta da GE.

Os diretores da Alstom expressaram sua satisfação pelos contatos produtivos mantidos com o Estado francês terem resultado em uma proposta negocial que não somente aborda os interesses de Alstom e dos seus stakeholders, como também fornece garantias em relação às preocupações expressas pelo Estado francês.

 

A OFERTA DA GENERAL ELECTRIC

 A GE, conforme anunciado anteriormente, faria a aquisição dos Setores de Energias Térmicas, Energias Renováveis e Grid, bem como dos serviços corporativos e compartilhados, por um preço fixo e inalterado representando um Valor Patrimonial de € 12,35 bilhões e um Valor de Mercado de € 11,4 bilhões.

Sob os termos da oferta atualizada, após a conclusão da Transação de Energia, Alstom e GE estabeleceriam joint ventures em Grid (transmissão de energia) e em Energias Renováveis.

Em Grid, cada empresa deteria uma participação de 50% em um negócio global unindo Alstom Grid e GE Digital Energy. Em Energias Renováveis, cada empresa deteria uma participação de 50% nas empresas offshore de energia Eólica e Hidroelétrica da Alstom.

Além disso, Alstom e GE criariam uma aliança 50/50 entre Global Nuclear e French Steam (turbinas térmicas a vapor), que incluiria a produção e manutenção dos equipamentos de turbina a vapor "Arabelle" para centrais de energia nuclear, bem como de equipamentos de turbina a vapor da Alstom e a manutenção destas na França. O Estado francês também deteria ações preferenciais que lhe dariam o poder de veto e outros direitos de governança em assuntos relativos à segurança e à tecnologia de usinas nucleares na França.

O investimento da Alstom nessas alianças relacionadas à energia representa cerca de € 2,5 bilhões, presumindo que estas empresas estejam livres de dívidas e sem dinheiro em caixa. Os termos dessas alianças incluem os costumeiros acordos de acionistas, com direito padrão de governança e liquidez.

Por fim, a GE propõe a criação de uma aliança global na qual a GE venderia à Alstom 100% de seus negócios de sinalização, com vendas de cerca de US$ 500 milhões em 2013 e 1.200 funcionários, e as empresas assinariam múltiplos acordos de colaboração, incluindo um contrato de assistência técnica para locomotivas GE fora dos Estados Unidos, pesquisa e desenvolvimento, terceirização, e fabricação e suporte comercial nos Estados Unidos.

O comitê ad hoc de conselheiros independentes analisou a transação proposta pela GE, com a assistência de seus consultores jurídicos e financeiros. O especialista financeiro nomeado para assessorar o Conselho concluiu que a contrapartida financeira oferecida pela GE para a Alstom é justa do ponto de vista financeiro. O assessor jurídico nomeado para apoiar o Conselho concluiu que a oferta da GE parece ser favorável à empresa do ponto de vista legal, especialmente à luz do fato de que ela prevê um preço de compra fixo e final, não necessitando representações e garantias e, com as atualizações propostas pela GE, aborda adequadamente as preocupações do Estado francês. O Conselho, ao reconhecer por unanimidade os méritos estratégicos e industriais desta oferta, decidiu emitir uma recomendação positiva, autorizando o Sr. Patrick Kron, na qualidade de CEO da Alstom, a participar na próxima etapa do processo, de posse das informações e consultas dos competentes conselhos das empresas do grupo Alstom.

 

A PROPOSTA DA SIEMENS E MISTUBISHI HEAVY INDUSTRIES

 Além disso, o Conselho de Administração, com a assistência do comitê ad hoc e dos consultores jurídicos e financeiros, analisou a proposta recebida da Siemens e Mitsubishi Heavy Industries, conforme foi apresentada ao comitê ad hoc em 16 de junho de 2014 e em sua proposta melhorada recebida em 20 de junho de 2014.

Sob os termos da proposta melhorada, a Siemens faria a aquisição do negócio de gás da Alstom por uma contrapartida de equivalência patrimonial de € 4,3 bilhões, um valor € 400 milhões acima daquele da proposta inicial. A MHI compraria uma participação de 40% da empresa combinada de vapor, grid e energia hidroelétrica da Alstom por meio de uma única companhia, com uma contrapartida de € 3,9 bilhões. Além disso, a Siemens poderia propor entrar em uma Joint Venture de até 50/50 com a Alstom em Infraestrutura de Mobilidade e Sinalização.

Após a análise, o Conselho determinou, por unanimidade, que a proposta não aborda adequadamente os interesses da Alstom e de seus stakeholders.

 

PRÓXIMOS PASSOS

A conclusão da transação com a GE estará sujeita às consultas aos conselhos das empresas e em relação a licenças para fusões e outras autorizações regulamentares, como a autorização pelo departamento de Investimento Estrangeiro da França. De acordo com o código AFEP-Medef, a aprovação final da transação será submetida aos acionistas.

Caso esta oferta seja aprovada e concluída, a Alstom voltaria a focar em suas atividades de Transporte totalmente próprias e em suas alianças de Energia com a GE. A Alstom utilizaria os recursos dessa operação para fortalecer seu negócio de Transportes, para investir em suas alianças em Energia, e para liquidar a sua dívida e proporcionar um retorno em dinheiro para os seus acionistas.

Patrick Kron, Presidente do Conselho de Administração e CEO da Alstom, comentou: "A união dos negócios complementares de energia da Alstom e da GE criaria uma entidade mais forte, mais bem colocada para atender aos seus clientes de forma global e para investir em pessoas e tecnologia a longo prazo. A Alstom estaria associada a essa ambiciosa união por meio das alianças na área de Energia. A Alstom Transport, uma sólida empresa líder que conta com um amplo portfólio de tecnologias e presença mundial em um mercado dinâmico, seria ainda mais reforçada através da aquisição do negócio de sinalização da GE, bem como por uma aliança ferroviária de longo alcance com a GE."


C
onference call 

A Alstom realizará uma conferência com analistas e investidores na segunda-feira, dia 23 de junho de 2014, às 8h30 (CET). A chamada em conferência também poderá ser acessada ao vivo no site da Alstom: www.alstom.com (apenas para ouvir).

 

Contatos para a Imprensa

Mariana Maciel – Tel.: 11 3612-7074
mariana.maciel@alstom.com 


Ana Paula Mattar – Tel.: 11 3612-7079
anapaula.mattar@cdn.com.br