Alstom assina dois contratos significativos na Índia

©Alstom/Design&Styling

A Alstom assinou dois grandes contratos na Índia por um valor total de mais de 3,7 bilhões de euros[1]. O primeiro contrato para o fornecimento de 800 locomotivas elétricas e manutenção associada, seguido por uma carta de adjudicação do contrato recebida em 9 de novembro, foi assinado com a Indian Railways na presença de Arun Jaitley, Ministro das Finanças, Suresh Prabhakar Prabhu, Ministro das Ferrovias, Nirmala Sitharaman, Ministro do Estado para Comércio e Indústria, Manoj Sinha, Ministro do Estado para Ferrovias, Henri Poupart-Lafarge, Vice Presidente Executivo da Alstom, Dominique Pouliquen, Vice Presidente Sênior para Alstom Ásia Pacífico e Bharat Salhotra, Diretor Executivo da Alstom Índia e sul da Ásia. O segundo contrato foi assinado com a DFCCIL (Dedicated Freight Corridor Corporation of India Ltd.) e se refere à eletrificação, sinalização e sistema de telecomunicações para uma parte do Corredor de Frete Dedicado (DFC) oriental.

“Nós estamos satisfeitos por assinar hoje estes contratos que vão desempenhar um papel fundamental em estimular a economia da Índia e o desenvolvimento da infraestrutura, apoiando o forte crescimento da Indian Railways. Na Alstom, nós temos o compromisso de abordar o mercado crescente na Índia, expandindo a nossa presença local e trazendo conhecimento tecnológico e experiência para o país” declarou Dominique Pouliquen.

O primeiro contrato vai fornecer 800 locomotivas elétricas e manutenção a longo prazo associada para a Indian Railways[2]. As locomotivas pertencem à gama Prima da Alstom. Elas serão 9.000 kW no aro do pneu e vão funcionar em velocidades de até 120 km/h. A Alstom vai investir em torno de 200 milhões de euros no projeto, o qual será executado por uma JV recentemente formada em que a Alstom e a Indian Railways respectivamente detêm uma participação de 74% e 26%. O escopo do projeto inclui a configuração de uma fábrica em Madhepura (estado de Bihar) onde a maioria das locomotivas serão montadas. A entrega das locomotivas ocorrerá entre 2018 e 2028. O projeto também inclui a configuração de dois centros de manutenção em Saharanpur (estado de Uttar Pradesh) e Nagpur (estado de Maharashtra).

O segundo contrato, no valor de mais de 200 milhões de euros, fornecerá a eletrificação, sinalização[3] e sistema de telecomunicações para a porção oriental de 343 quilômetros de extensão do Corredor de Frete Dedicado, um grande projeto liderado pelo governo para construir corredores[4] em todo o país, previsto para ser concluído até 2019. Como parte do contrato, a Alstom também construirá as estações e fornecerá o centro de controle.

Ambos os projetos possibilitarão que os trens de frete mais rápidos, mais seguros e mais pesados se movam em todo o país, reduzindo assim o congestionamento para os serviços ferroviários de passageiro e carga.

A Alstom tem vários sites na Índia incluindo uma unidade de sinalização, telecomunicação e engenharia em Bangalore, uma fábrica de metrô em Sri City e uma unidade de fabricação de sistemas de tração em Coimbatore. A Alstom tem fortes referências na Índia no segmento urbano para cidades como Delhi, Bangalore, Jaipur, Chennai, Kochi e Lucknow.

 

Sobre a Alstom

Como um promotor da mobilidade sustentável, a Alstom desenvolve e comercializa sistemas, equipamentos e serviços para o setor ferroviário. A Alstom gerencia a mais ampla gama de soluções no mercado – de trens de alta velocidade a metrôs e VLTs – e soluções de manutenção, modernização, infraestrutura e sinalização associadas. A Alstom é líder mundial em sistemas ferroviários integrados. Ela registrou vendas de 6,2 bilhões de euros e reservou 10 bilhões de euros de pedidos no ano fiscal de 2014/15. Com sede na França, a Alstom está presente em mais de 60 países e emprega 32.000 pessoas atualmente.



[1] Cerca de 3,5 bilhões de euros para as locomotivas e manutenção devem ser registrados no decorrer de 2016. Mais de 200 milhões de euros para o sistema de telecomunicações, sinalização e eletrificação devem ser registrados no trimestre atual.

[2] 13 anos para as primeiras 250 locomotivas e 4 anos para as seguintes 250

[3] Smartlock 400

[4] O corredor oriental (1.839 km) funcionará de Ludhiana em Punjab a Dankuni em West-Bengal. O corredor ocidental (1.499 km) funcionará do Porto de Jawaharlal Nehru em Mumbai a Tughlakabad em Delhi.

Imprensa

Mariana Maciel
Tel. +5511 36127074
mariana.maciel@alstom.com

 

Ana Paula Mattar
Tel. +5511 36127079
ana.mattar@agenciaideal.com.br