Alstom no Brasil

Sobre a Alstom

Presente no Brasil há 60 anos, a Alstom chegou a um momento de transformação em sua estratégia de negócios. A partir de agora, a Alstom está focada exclusivamente no setor transporte.

A Alstom construiu uma história de participação efetiva no desenvolvimento da infraestrutura do país, contribuindo para o progresso social e respeitando o meio ambiente. No Brasil, a Alstom contribuiu com produtos e serviços para a maioria das operadoras de transporte público, incluindo os metrôs de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Brasília.

A empresa já atuou com geração e transmissão de energia, participando de grandes projetos.

Agora, focando exclusivamente no mercado de transporte – uma área na qual a empresa está trabalhando há 20 anos no Brasil - conta com cerca de 1.500 funcionários e 4unidades no país e trabalha em prol da ética, da criação de empregos e da realização de mudanças que a mobilidade urbana inteligente necessita.

No Brasil, a Alstom gerencia projetos completos de transporte ferroviário, incluindo material rodante, sinalização, infraestrutura e serviços de manutenção. É uma referência mundial em VLTs, metrôs, trens suburbanos e trens de altíssima velocidade.

Mensagem do Presidente

“Somos reconhecidos como uma empresa que desenvolve tecnologias de ponta, que preza pela satisfação de seus clientes e queremos reforçar essa posição dia após dia” 

A Alstom construiu uma história de 60 anos no Brasil e agora chega a um momento de transformação, focando na área ferroviária. Um dos nossos principais objetivos é mostrar que vamos manter o comprometimento e com o desenvolvimento tecnológico que marcou nossa trajetória, mas com uma nova visão de futuro, colocando todos os nossos esforços em um único setor de atuação. Isso vai nos permitir estar cada vez mais próximos a nossos clientes, detectando suas necessidades para uma melhor mobilidade dos passageiros que atendem.

A Alstom é a única empresa do setor que tem 4 unidades instaladas no Brasil, gerando empregos a cerca de 1.500 pessoas que estão comprometidas com a realização de um trabalho ético, sério e de vanguarda. Não é a toa que fomos escolhidos como a melhor fabricante para passageiros pela Revista Ferroviária e que 1 a cada 5 carros metroferroviários de passageiros em operação foi feito pela Alstom Brasil, o que nos enche de muito orgulho.

Hoje, focada em transporte ferroviário, a Alstom continuará suas operações com alta qualidade. Mais do que nunca, a empresa quer apoiar o país, que tem grande necessidade de investimentos em infraestrutura em sistemas de transporte inteligente. Especialmente porque na Alstom existe vontade, conhecimento e oportunidades para desenvolver e entregar soluções sustentáveis para a mobilidade urbana.

Após 30 anos de trabalho na Alstom, eu posso dizer que tenho a honra de liderar esse momento de transformação junto aos nossos funcionários e parceiros, e apresentar-lhes a nova Alstom.

Aqui, você poderá saber mais sobre nossos produtos, soluções e projetos executados por uma equipe que trabalha todos os dias com foco em contribuir para a construção do futuro de nosso país.

Michel Boccaccio, Presidente da Alstom Brasil

Fomos o primeiro fabricante de sinalização ferroviária no Brasil. Atualmente, com a grande necessidade de mobilidade urbana e novos projetos privados sendo licitados, vemos uma forte retomada no setor metroferroviário.

Na nossa história recente, podemos enfatizar que, em 2013, entregamos carros para a CPTM (Linha 11, Expresso Leste), Chennai (Índia) e para a SuperVia. Para Chennai, fizemos transferência tecnológica de nossa unidade brasileira para a nova unidade indiana, exportando conhecimento. Para a SuperVia, entregamos o primeiro trem em tempo recorde: apenas 13 meses.

Em 2014, iniciamos o fornecimento dos 20 primeiros trens para o maior projeto da história da Alstom para trens suburbanos na África do Sul (projeto Prasa), que é outro exemplo de transferência de conhecimento e tecnologia. Também começamos a fabricar os novos trens para a Linha H do Metrô de Buenos Aires e entregamos o último trem para a Trensurb em Porto Alegre.

2015 começou com um investimento importante: a primeira linha de fabricação da América Latina dedicada a VLTs, em Taubaté, São Paulo. Este é o início de um novo capítulo da transformação de mobilidade urbana brasileira. A unidade será responsável por fabricar a maior parte dos VLTs que vão circular no Rio de Janeiro, a primeira cidade do País a ter um sistema moderno e totalmente sem catenárias no país. Além disso, estará apta a atender projetos em outros países da América Latina, levando a experiência e expertise brasileira para além de suas fronteiras.

Aproveitando a força da diversidade

A Alstom está comprometida em descobrir e avançar com todo o potencial das pessoas deste país.

Atingir a igualdade econômica é vital para o negócio e a Alstom contribui por meio da criação de empregos na indústria e formação de mão de obra especializada. 

O futuro começa agora

Pessoas, sustentabilidade e meio ambiente estão no centro dos negócios da Alstom. Declaramos nosso compromisso em limitar o impacto de nossas atividades sobre os recursos, para promover o desenvolvimento sustentável e melhora na vida das pessoas que têm contato direto com nossos negócios.

Em todos os lugares onde a Alstom está localizada, trabalhamos com as comunidades locais e colaboramos com parceiros em projetos de desenvolvimento sustentável focados nas tecnologias, treinamento, criação de empregos e preservação ambiental do amanhã.

Nossas responsabilidades corporativas e sociais são guiadas por um entendimento de que as decisões que tomamos hoje irão definir o nosso futuro.

No Brasil, a Alstom Foundation está apoiando dois projetos este ano:

  • Pedala Zezinho: o projeto incentiva crianças e jovens na periferia de São Paulo a usar a bicicleta como meio de transporte. A prática saudável de pedalar não gera emissões prejudiciais ao meio ambiente e pode ser uma fonte de renda para jovens em início de carreira por meio da manutenção e reparo de bicicletas. O Instituto Aromeiazero, responsável pelo projeto, é uma organização sem fins lucrativos que desenvolve projetos socioeducacionais e culturais que geram mais qualidade de vida para as pessoas. 
  • Construindo sonhos: o projeto da Fundação Odebrecht tem o objetivo de treinar adolescentes para que sejam multiplicadores de melhores práticas compatíveis com demandas sustentáveis. Planejando o crescimento local de forma sustentável e identificando novas técnicas para otimizar os recursos naturais existentes a fim de melhorar a condição de vida da população.

       Para mais informações, envie um e-mail para: responsabilidade.social@alstom.com

 
Saúde e Segurança

A base de nossa Política EHS no Brasil é buscar o engajamento total de todos os funcionários, parceiros, contratados, fornecedores e clientes em nosso objetivo de atingir zero acidentes e incidentes graves, ao mesmo tempo em que preservamos o meio ambiente no qual operamos.

A Alstom também conta com uma campanha Target Zero (Iniciativa de Prevenção de Acidentes Graves) para trabalhos em altura e operações de içamento. Essa campanha tem importância fundamental para a empresa.

Nosso compromisso com a saúde e segurança de nossos funcionários e pessoas que trabalham em nossas unidades ou sob nossa gestão é uma pedra angular em nossas metas de sustentabilidade. Além disso, atingir altos níveis de padrões proativos de segurança e saúde contribui para a satisfação de clientes, resultados de negócios e motivação de funcionários.

Em relação ao meio ambiente, a Alstom conta com várias campanhas internas que têm o objetivo de aumentar a conscientização sobre a redução e o uso racional de energia, água e outras fontes.

60 anos de presença industrial no Brasil

Confira os eventos recentes de nossa história. 

2000: Aquisição da Ansaldo Coemsa S.A, em Canoas (RS), para expandir os setores Transmissão & Distribuição de Energia.

2004: Alstom vende suas atividades de Transmissão e Distribuição para a Areva. A divisão TIS recebe um prêmio da Revista Ferroviária como melhor criadora de tecnologia.

2005: Em julho, a Alstom comemora 50 anos de atividades no Brasil.

2006: Aquisição da Ritz High Voltage, VEI, Nokian Capacitors, Nxtphase, RB Watkins e Powermann.

2007: Para integrar os setores de Energia e Transporte, a Alstom inaugura um novo complexo comercial, a unidade Bandeirantes.

2008: A Alstom ganha o contrato para fornecer equipamentos para as usinas hidrelétricas do Rio Madeira. Turbinas bulbo do tipo fornecido para os projetos de Santo Antônio e Jirau serão as mais potentes já produzidas pelo grupo no Brasil.

2009: Alstom e Schneider Electric propõem a aquisição da Areva T&D. A Alstom ganha o contrato para a maior linha de transmissão do mundo, com um comprimento total de 2.386 quilômetros, ligando o Rio Madeira ao Sudeste.

2010: Alstom e Bardella inauguram uma fábrica em Porto Velho, a IMMA. A Alstom ganha o primeiro contrato no mercado eólico brasileiro. A Alstom adquire a atividade de transmissão da Areva T&D, criando o setor Grid.

2011: A Alstom assina o contrato para o fornecimento de equipamentos para a usina de Belo Monte, a terceira maior hidrelétrica do mundo. Alstom inaugura sua primeira fábrica de turbinas eólicas no Brasil e América Latina (9 unidades no Brasil).

2012: A Alstom coloca a pedra fundamental de seu primeiro Centro Global de Tecnologia na América Latina. A empresa anuncia a segunda unidade do setor eólico no Brasil.

  • consórcio composto pela Alstom é selecionado pelo Metrô de São Paulo para fornecer a infraestrutura da segunda fase da Linha 4-Amarela
  • a Alstom, em um consórcio com a CAF Brasil, é selecionada para fornecer 15 trens de metrô para a Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre (Trensurb) e dez Trens Unidades Elétricos (TUEs), com quatro carros, para a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) de Belo Horizonte.
  • Alstom integra o consórcio que venceu o processo licitatório para fornecer sistemas auxiliares para extensão da Linha-5 Lilás do metrô de São Paulo.
  • assinatura de um contrato com a SuperVia para o fornecimento de 10 novos trens.

2013: Alstom é escolhida pelo consórcio VLT Carioca para fornecer à cidade do Rio de Janeiro um sistema de VLT sem catenárias composto por 32 composições Citadis, além de sistemas de fornecimento de energia, sinalização e telecomunicações.

  • Unidade Lapa, São Paulo, conclui a fabricação da primeira composição para o metrô de Chennai (Índia).
  • Anúncio do contrato com a PRASA (Passenger Rail Agency of South Africa) e a Gibela para o fornecimento de 600 trens X’Ttrapolis Mega (3.600 carros) ao longo de um período de 10 anos. O projeto é um dos maiores em transporte ferroviário do mundo, e é o maior contrato já assinado na história da Alstom. Os primeiros 20 trens estão sendo produzidos pelo Brasil, na unidade Lapa.

2014: A Diretoria da Alstom decide por unanimidade emitir uma recomendação positiva para que a GE adquira o negócio de geração e transmissão de energia.

  • Anúncio da inauguração de uma nova linha de produção dedicada a VLTs em Taubaté, em São Paulo, a fim de atender aos mercados brasileiro e latino-americano.
  • Entrega do primeiro dos 15 trens de metrô encomendados pela Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre (Trensurb).
  • Entrega dos últimos trens para a SuperVia, empresa liderada pela Odebrecht TransPort, para o projeto de modernização do sistema ferroviário do Estado do Rio de Janeiro.

2015: Inauguração da primeira linha de fabricação de VLTs da América Latina, em Taubaté, São Paulo.

  • Entrega do último dos 15 trens do contrato com a Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre (Trensurb).
  • Alstom conclui a venda de suas atividades de energia e fica inteiramente focada em Transporte Ferroviário.