Pular para o conteúdo principal

Follow us on

Follow us on

Resultados Alstom no exercício fiscal de 2020/21

Download as PDF Press kit
Press contacts - Corporate

Coralie Collet

Send an email

Samuel Miller

Send an email
Investor relations

Martin Vaujour

Send an email

Claire Lepelletier

Send an email
  • Dados legacy da Alstom totalmente alinhados com os objetivos para 2021, com uma forte atividade comercial, sólida execução de projetos e rentabilidade acrescida.

  • Integração da Bombardier Transportation plenamente em curso.

  • Perspetiva positiva para o mercado da ferrovia, apoiada por importantes planos de estímulo em todo o mundo.

  • Conquistas contínuas nos critérios ESG (Ambientais, Sociais e de Governança).

     

Todos os dados, quando não especificado, refletem a visão combinada do Grupo, incluindo o ano fiscal de 2020/21 legacy da Alstom e a contribuição da Bombardier Transportation por 2 meses (fevereiro e março de 2021), estando de acordo com os métodos contabilísticos da Alstom. As variações orgânicas excluem o efeito da evolução cambial, representando o desempenho legado da Alstom apenas em comparação com o ano fiscal de 2019/20.

11 de maio de 2021 – Entre 1 de abril de 2020 e 31 de março de 2021, a Alstom registou um volume de pedidos de 9.100 milhões de euros (incluindo 664 milhões de euros correspondentes à contribuição da Bombardier Transportation durante dois meses), consolidando uma carteira de pedidos recorde de €74.500 milhões de euros. Neste período, o volume de negócios atingiu os 8.800 milhões de euros (incluindo 1.125 milhões de euros correspondentes à contribuição da Bombardier Transportation durante dois meses). A relação entre pedidos e vendas mostrou-se sólida, situando-se acima de 1.

O lucro operacional ajustado (aEBIT) ascendeu a €645 milhões de euros, considerando tanto a contribuição da Bombardier Transportation como o impacto da Covid-19. A margem operacional ajustada foi de 7,3% ao nível do Grupo, alcançando os 8% no que diz respeito ao perímetro legacy da Alstom e 2,7% para o legado da Bombardier Transportation.

O resultado líquido ajustado atingiu os 301 milhões de euros, incluindo diversos itens extraordinários, relacionados em parte com a aquisição da Bombardier Transportation.

Durante o ano fiscal de 2020/21, o fluxo de caixa livre totalizou (-703) milhões de euros, incluindo uma contribuição de (-751) milhões de euros da Bombardier Transportation e ativos de caixa positivos de 48 milhões de euros relativos ao perímetro legacy da Alstom. Após a aquisição da Bombardier Transportation, os montantes de tesouraria/dívida líquida totalizaram (-899) milhões de euros, a 31 de março de 2021. A Alstom beneficia de uma sólida posição em termos de liquidez, de 4.500 milhões de euros, e de um capital social líquido que ascende a 9.117 milhões de euros, a 31 de março de 2021.

Os resultados do ano fiscal de 2020/21 no perímetro legacy da Alstom estão em linha com os seus objetivos para o total do ano.

O Conselho de Administração, na sua reunião de 10 de maio de 2021, decidiu propor, na próxima Assembleia Geral de Acionistas de dia 28 de julho de 2021, um pagamento de dividendos de €0,25 por ação, o que corresponde a um rácio de distribuição de 31% em relação ao lucro líquido ajustado.

 

(em milhões de euros)

Ano fiscal

 terminado em 31 março 2020

Ano fiscal

 terminado em 31 março 2021

Ano fiscal terminado

em 31 março 2021
ex-Alstom

 

% de variação reportada

% de variação orgânica

Dados publicados

 

 

 

 

 

 

Carteira de pedidos

40.903

74.537

42.541

 

82%

2%

Pedidos recebidos 

9.900

9.100

8.436

 

(8)%

(14)%

Relação pedidos-ventas

1.2x

1.0x

1.1x

 

 

 

Vendas

8.201

8.785

7.660

 

7%

(4)%

EBIT ajustado1

630

645

614

 

2%

 

Margem EBIT ajustada1

7,7%

7,3%

8,0%

 

 

 

Resultado líquido ajustado2

457

301

310

 

 

 

Resultado líquido, parte do grupo3

467

247

307

 

 

 

Free cash flow              

206

(703)

48

 

 

 

Tesouraria / (Dívida)

1.178

(899)

 

 

 

 

Capital social

3.328

9.117

 

 

 

 

                               

¹ aEBIT inclui investimentos contabilizados por equivalência patrimonial quando estes são considerados como parte das atividades operacionais do Grupo. Isto inclui principalmente as joint-ventures chinesas, nomeadamente, CASCO joint-venture para a Alstom, bem como, após a integração da Bombardier Transportation, Bombardier Sifang (Qingdao) Transportation Ltd., Bombardier NUG Propulsion System Co. Ltd. e Changchun Bombardier Railway Vehicles Company Ltd.

² Resultado líquido das operações continuadas (share do Grupo) excluindo o impacto da amortização dos ativos exclusivamente avaliados na determinação do PPA no contexto da concentração de atividades empresariais, líquido em relação ao efeito fiscal.

³ Inclui lucro líquido de operações descontinuadas e exclui participações não controladoras.

Em 2020/21 inaugurámos um novo capítulo na nossa história, ao concluirmos, em 29 de janeiro, a aquisição da Bombardier Transportation, criando um líder global em mobilidade, comprometido com a necessidade crescente de promover um transporte mais sustentável em todo o mundo. O desempenho dos negócios manteve-se forte durante este ano financeiro, mostrando que a ferrovia constitui um mercado sólido. A Alstom garantiu vários pedidos importantes no segundo semestre de 2020/21, como veículos de dois andares nos Estados Unidos, metros na Índia e a maior encomenda alguma vez feita pelo operador espanhol Renfe. As vendas mantiveram-se em bom nível, apesar do impacto da primeira onda de Covid-19 nas nossas operações, e o Grupo registou uma forte atividade operacional, com resultados tangíveis em termos de rentabilidade. Com a integração da Bombardier Transportation em curso, o Grupo entra no novo ano fiscal focado na satisfação do cliente, na execução de projetos e no aproveitamento das inúmeras oportunidades comerciais, suportadas por um impulso global em direção à mobilidade sustentável”, afirmou Henri Poupart-Lafarge, Presidente e CEO da Alstom.